Os desafios na implementação do teletrabalho nos tribunais de justiça pós Cpvid-19

Autores

  • Alexandre Meira de Vasconcelos
  • Luis Eduardo Bernardes de Almeida Ribeiro

Palavras-chave:

Trabalho remoto, Produtividade, Governo, Servidor público, Justiça.

Resumo

Após a grande adoção do teletrabalho nos órgãos públicos durante a pandemia de COVID-19, houve a edição de Resolução nº 481 do Conselho Nacional de Justiça em novembro de 2022, que determinou o retorno dos servidores do Poder Judiciário ao regime presencial de trabalho. Diante da insatisfação causada e da possível invasão na autonomia dos Tribunais de Justiça foi realizada a presente Revisão da Literatura a fim de verificar o atual panorama científico sobre os benefícios do teletrabalho no serviço público. Adotou-se como método de pesquisa a análise de artigos científicos nas bases de acervo bibliográfico “SCOPUS” e “Web of Science”, os quais foram devidamente filtrados e estudados, utilizando-se a plataforma “Parsif.al”. Ao final foram identificados 12 artigos relevantes, dos quais extraiu-se que o regime de teletrabalho apresenta inúmeros benefícios à instituição e aos servidores adotantes, fazendo ressalva à necessidade de controle de resultados e da saúde emocional dos trabalhadores para que seja ferramenta voltada à eficiência do Estado numa aplicação duradoura. Espera-se, com esta pesquisa, criar um acervo bibliográfico a indicar os benefícios da adoção deste regime de trabalho nos órgãos públicos, ensejando, no futuro, uma adequação da resolução nº 481 do CNJ, a possibilitar uma maior parte dos servidores trabalhar remotamente. Poderá também ser utilizado por gestores na formulação de futuras políticas públicas.

 

DOI: 10.56238/sevenVmulti2024-094

Downloads

Publicado

2024-03-25