International Seven Journal of Multidisciplinary
##common.pageHeaderLogo.altText##
##common.pageHeaderLogo.altText##

e-ISSN: 2764-9547



Contato

  • Seven Publicações Ltda CNPJ: 43.789.355/0001-14 Rua: Travessa Aristides Moleta, 290- São José dos Pinhais/PR CEP: 83045-090
  • Contato Principal
  • Nathan Albano Valente
  • (41) 9 8836-2677
  • contato@sevenpublicacoes.com.br
  • Contato para Suporte Técnico
  • contato@sevenpublicacoes.com.br

Terapia fotodinâmica no tratamento do câncer de pele não-melanoma: Uma revisão de literature

Luisa Araujo Lopes M;
Cristina Couto L;
Laís Rodrigues Maciel I;
Túlio Andrade Silva M

Maria Luisa Araujo Lopes

Laís Cristina Couto

Isadora Laís Rodrigues Maciel

Marco Túlio Andrade Silva


Palavras-chave

Photodynamic therapy
Basal Cell Carcinoma
Squamous Cell Carcinoma
Skin Neoplasms
Dermatology.
Terapia fotodinâmica
Carcinoma Basocelular
Carcinoma de Células Escamosas
Neoplasias Cutâneas
Dermatologia.

Resumo

Objetivo: O seguinte estudo visa analisar o mecanismo de ação, eficácia, segurança e tendências recentes no uso da terapia fotodinâmica (TFD) como uma abordagem terapêutica no tratamento do câncer de pele não-melanoma. Ademais, procura oferecer uma visão abrangente ao estado atual de conhecimento sobre o assunto, destacando seu uso e disponibilidade no cenário brasileiro. Métodos: A pesquisa foi realizada a partir de uma revisão de literatura com base de dados publicados no Periódicos CAPES, Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) e UpToDate. Resultados: A TFD é uma técnica já consolidada globalmente e apresenta diversas vantagens no tratamento do câncer de pele não melanoma, bem como nas ceratoses actínicas, mesmo em casos abrangentes. A TFD é considerada um método não invasivo, rápido, seguro, com poucos efeitos colaterais, proporcionando recuperação rápida e sendo bem tolerada pelos pacientes. Apresenta um índice de cura significativo e resultados estéticos excelentes, diferenciando-se dos outros tratamentos frequentemente citados por suas desvantagens, como cicatrizes indesejáveis. Conclusão: É crucial explorar ainda mais os benefícios da TFD, considerando sua aplicação em diferentes subtipos de câncer de pele não melanoma e otimizando protocolos para ampliar sua aplicação clínica. Como uma inovação promissora, a tecnologia apresenta perspectivas de contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes afetados por esse específico tipo de câncer cutâneo.


  • Maria Luisa Araujo Lopes
  • Laís Cristina Couto
  • Isadora Laís Rodrigues Maciel
  • Marco Túlio Andrade Silva