Efeitos da exposição a ecrãs na qualidade do sono em estudantes do Ensino Superior

Autores

  • Guilherme Fradique Ferreira
  • Patrícia Margarida dos Santos Carvalheiro Coelho
  • Rui Alexandre Bento Simões
  • Eduardo Miguel Mota Abrantes
  • João Francisco Henriques Branco

Palavras-chave:

Qualidade do sono, Estudantes.

Resumo

Introdução: A definição de sono normal é descrita como aquele que proporciona a um indivíduo uma sensação de bem-estar ou descanso físico e mental após uma noite de sono. A literatura estabeleceu que um dos grupos de alto risco predisposto a ser afetado por distúrbios do sono são os estudantes. Segundo alguns autores, a privação de sono causa depressão, agitação, apatia e mau desempenho académico nos estudantes, sendo a principal razão do declínio do desempenho académico a redução do número total de horas de sono. Objetivos: Avaliar a qualidade do sono nos estudantes do ensino superior e relacionar a mesma com a exposição a ecrãs. Materiais e Métodos: A recolha da amostra foi feita através do preenchimento de inquéritos online, por parte dos alunos. O inquérito é constituído pelo Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI) e Escala de Sonolência de Epworth (ESE) e outra parte para a caracterização da amostra e avaliação dos hábitos de consumo e exposição a ecrãs. Resultados: Recolheu-se dados de 94 alunos com idades compreendidas entre 18 e 33 anos. A prevalência de pobre qualidade de sono foi de 50 %. Apurou-se que quem dormia menos de 7 horas por noite tinha maior prevalência de pobre qualidade do sono, com uma significância estatística de 0,002. Conclusão: Com este estudo verificou-se que mais de metade dos alunos estudados dorme menos de 7h e que estes têm pobre qualidade do sono.

DOI: https://doi.org/10.56238/homeIVsevenhealth-041

Downloads

Publicado

2024-06-07